Categorias
De Mãe pra Mãe

As Sete Resoluções das Mães

Esse texto foi tirado de um panfleto que recebi em uma reunião de mães da Seicho-no-ie.

Independente de sua religião, sem duvida nenhuma, são sete resoluções que podemos tentar aplicar em nossa vida materna.

As-sete-resoluções-das-mães

Se quiser copiar é só clicar a imagem. E se for redistribuir, por favor, não esqueça de colocar o crédito, deu um trabalhão montar (Cara-de-pau não!).

APP

Categorias
Crianças De Mãe pra Mãe

Crianças de 4 a 5 anos: Medo de Palhaços

Agora a parte séria. 

Lembra do post com imagens divertidíssimas de crianças com medo de palhaços ou pessoas super fantasiadas? 
Então, olha que legal essa matéria do Guia do bebê

Pavor a palhaço: isso é normal?  
O medo na infância é natural e faz parte do desenvolvimento da criança. Cada pequeno tem suas fantasias e seus medos que, normalmente, são transitórios. Basta ter a segurança e apoio de um adulto que seja confiável à criança. 

Digo isso porque certamente você já notou que a presença de um palhaço às vezes causa reação adversa nas crianças. Ao invés de alegria, ele causa espanto nas crianças, que não consegue traduzir o que o nobre folião tenta transmitir a elas. 

O palhaço pode ser interpretado como um “ser estranho” para a criança entre 4 e 6 anos de idade. Para esses pequenos, o palhaço não é uma pessoa e sim uma “coisa” anormal, que tem o rosto todo pintado, roupas espalhafatosas, e atitudes diferentes de tudo que já conheceu. 

Por ser tão controverso no imaginário do queridinho da família, o palhaço é uma das figuras que mais amedrontam, assim como o Papai Noel, já que o pequeno pode ligar o palhaço a um bicho-papão, entre outros seres “invasores”. 

É importante ressaltar que crianças sentem mais medo porque conhecem menos. Diante de tudo o que é desconhecido e novo, um certo temor aparece. Essa apreensão passa ela começa a conhecer melhor esse tal “ser diferente”. 

Como ver um palhaço sem receio? – Contar histórias, não forçar a criança a enfrentar um palhaço ou um Papai Noel são atitudes que contam muito na hora da criança superar esse receio. Se a criança chorar ao fica no colo de um animador infantil, tire a do colo. 

Conforme vão conhecendo o que são essas figuras, conseguem identificá-las como figuras humanas. Conseqüentemente, vão perdendo o medo e passarão a dar boas risadas dos personagens. 

A criança está começando a encher sua caixinha de experiências, vivenciando a vida e tudo o que é diferente oferece perigo e por isso dá medo. E o adulto entra com a participação de mostrar para a criança que aquela experiência nova não é perigosa e por isso não precisa sentir medo. 

São fases – Cada fase tem os seus medos e a criança sempre troca um medo por outro. Até um ano de idade, os pequenos têm medo de perder a mamãe. Quando a mãe sai do alcance da visão da criança esta fica apavorada achando que a mamãe desapareceu para sempre. 

Os bebês não têm a chamada “permanência de objeto”, quando sabemos que quando uma pessoa vai ao banheiro ela não desaparece, ela ainda existe. Para os bebês, a pessoa simplesmente desaparece e não existe mais, por isso ficam com medo. 

As crianças acima de dois anos têm medo de fatores climáticos ou animais, tem medo do que é concreto e não do abstrato. Tente explicar o que acontece num dia de vento e leve-a para brincar na chuva. Não fale que todo cachorro morde, assim a criança ficará com medo só de olhar para um. Explique que tem cachorros bravos e deixe-a passar a mão num bem mansinho. 

Os pais também passam medo aos filhos. A dura realidade dos dias de hoje como violência e seqüestros fazem com que os pais apavorados passem insegurança para os seus filhos que, vivendo nesse ambiente, não conseguem enfrentar os medos que aparecem na sua vida. 

Temos que ensinar os filhos a lidar com toda essa realidade intranqüila, mas oferecendo meios para as crianças lidarem com os problemas e medos e não somente apavorá-los. 

Os pais devem passar muito amor e segurança para que a criança perceba que seus medos são pura fantasia e não fazem parte da realidade e que podem encará-los. O palhaço está ali para divertir e o Papai Noel para festejar o natal. 

Todos os medos são normais e naturais desde que não interfira no dia-a-dia da criança, como alimento, sono e convívio social. Se algo parecido acontece, o melhor é buscar ajuda profissional.

Categorias
Blog

COISAS QUE SÓ UMA MULHER CONSEGUE

Pela Sociedade
Ser tratada feito idiota pelo mecânico na oficina.
Ser mãe solteira, mãe casada, mãe separada, mãe do marido. Enfim, ser mãe.
Entender a diferença entre creme, marfim, e bege claro.
Não ter vergonha de chorar.
Escutar que: mulher no volante perigo constante; E saber que na verdade homem do lado perigo dobrado…
Sorrir gentilmente para um cliente enquanto uma cólica louca te rasga como se fosse uma bazuca…

Por Eles:
Assistir a um jogo de futebol, sem entender a diferença entre o goleiro e o zagueiro, só para fazer companhia ao gato!
Ficar completamente feliz, por que ele ligou.

Por nós mesmas
Colocar cinta para disfarçar a barriga.
Entender a inexatidão de toda balança.
Comprar uma blusa que não combina com mais nada, só porque o preço estava irresistível.
Passar a vida inteira, lutando contra o próprio cabelo.
Usar o poder de uma calça jeans para rediagramar a estrutura do corpo.
Ter cinco pares de sapatos pretos.
E sete calças jeans.
Descobrir que um vestido de marca em oferta pode ser considerada uma experiência de vida.
Fingir naturalidade durante um exame ginecológico.
Ter crise conjugal, crise existencial, crise de identidade e crise de nervos!
Sentir-se pronta para conquistar o mundo, quando está depilada!
Chorar no banheiro, e ficar se olhando no espelho para ver qual melhor ângulo.
Achar que o seu relacionamento acabou, e depois descobrir que era tudo tensão pré-menstrual.
Nunca saber se é para dividir a conta, ou se é para ficar meiguinha.
Dizer não, para ele insistir bastante, e aí ter que dizer sim!
Acreditar que uma salada, bebida diet, e um sundae de chocolate fazem um almoço equilibrado.
Saber que achar o homem ideal é difícil, mas achar um bom cabeleireiro é praticamente impossível

Categorias
Blog

VOCÊ SABE QUANTAS PESSOAS SÃO NECESSÁRIAS PARA SE TROCAR UMA LÂMPADA?

Peruas
Duas: uma chama o eletricista e a outra prepara os drinques.

Psicólogos
Apenas um, mas a lâmpada PRECISA QUERER ser trocada.

Portugueses
Cinco: um para segurar a lâmpada e outros quatro para girarem a cadeira.

Pessoas da área de software?
Nenhum. Isso é um problema de hardware.

Desenvolvedores de sistemas
Trocar pra quê? Não tem problema algum com a lâmpada velha, porque nos testes aqui no escritório ela funcionava bem …

Consultores
Dois… Um sempre abandona o trabalho no meio do projeto.

Bêbados
Um, só pra segurar a lâmpada, enquanto o teto vai rodando.

Ativistas Gays
Nenhum. A lâmpada não precisa mudar para ser aceita pela sociedade.

Cantores sertanejos
Dois: um troca a lâmpada e o outro escreve uma canção sobre os bons tempos da lâmpada antiga…

Machões
Nenhum: macho não tem medo de escuro.

Patricinhas
Duas: uma pra segurar a Coca light e outra pra chamar o papai.

Argentinos
Um só: ele segura a lâmpada e o mundo gira ao seu redor.

Mulher com TPM
Só ela! Sozinha!!
Porque ninguém, dentro desta casa sabe como trocar uma lâmpada! São um bando de IMPRESTÁVEIS!!! Eles nem percebem que a lâmpada queimou! Eles podem ficar em casa no escuro por três dias antes de notar que a bosta da lâmpada queimou! E quando eles notarem, vão passar mais cinco dias esperando que EU troque a lâmpada, porque eles acham que eu sou a ESCRAVA deles!!! E quando eles se derem conta de que eu não vou trocar a lâmpada, eles ainda vão ficar mais dois dias no escuro porque não sabem que as lâmpadas novas ficam dentro da droga da dispensa! E se, por algum milagre, eles encontrarem as lâmpadas novas, vão arrastar a poltrona da sala até o lugar onde está a lâmpada queimada e vão arranhar o piso todo, porque são INCAPAZES de saber onde a escada fica guardada! É inútil esperar que eles troquem a lâmpada, então sou eu mesmo quem vai trocá-la! E como eu sou uma mulher independente, vou lá e troco! E SOME DA MINHA FRENTE QUE EU TENHO MAIS O QUE FAZER!!!

Categorias
Bebês De Mãe pra Mãe

Dez coisas para você ensinar ao seu bebê.

1. Que ele pode contar sempre com você
Cada vez que você responde ao choro do seu bebê por comida, atenção ou troca de fraldas, ele aprende que tem alguma importância na sua vida e que pode contar com a sua ajuda.

 

2. Que ele pode contar consigo mesmo
Em vez de entrar no quarto cada vez que ouvir um barulhinho, experimente esperar alguns segundos pra ver se ele volta a ficar em silêncio. Uma hora, o bebê vai achar uma posição confortável e pegar no sono sozinho. Sem ter que levantar da cama, você ensinou ao seu filho que ele pode se virar de vez em quando. E você também aprendeu algo: que às vezes, ser uma boa mãe significa fazer menos pelo seu bebê, não mais.

 

 

 

3. Que ele pode se equilibrar
Carregar seu filho nos braços ou no sling estimula o desenvolvimento do equilíbrio do corpo dele. Quando já souber sentar, passeie com o carrinho sobre lugares com superfícies diferentes, como o piso de cascalho, uma calçada lisinha ou um gramado. Isso vai desenvolver o equilíbrio e fortalecer os músculos que o mantêm sentado.

 

 

 

4. Que ele pode se movimentar
Quando seu bebê finalmente levou os pezinhos à boca, pegou uma bolacha no pote ou deu seus primeiros passinhos, você com certeza sorriu e aplaudiu, mostrando que ele tem um motivo para se orgulhar. Ser reconhecido é essencial no aprendizado da criança, e não existe nenhum segredo para seu fazer seu filho desenvolver as habilidades motoras. Tirar os obstáculos do chão já é quase o suficiente. O que mais falta? Comemorar!

 

 

 

5. Que ele pode aprender como funcionam as palavras 
Ler o jornal em voz alta, conversar com o bebê como se fosse gente grande, contar pra ele como foi seu dia e até cantar são atitudes que ajudam no desenvolvimento verbal do seu filho, conforme ele percebe o tom de voz e ritmo em que você fala. Palavras curtas e assuntos infantis são agradáveis, mas não necessários.

 

 

 

6. Que cada um tem sua vez
Sabe brincadeira de esconder? Primeiro você esconde o rosto, depois é a vez do seu bebê. Quando você e seu filho se revezam nas brincadeiras e atividades do dia-a-dia, você está ensinando a ele a importância de dividir, sociabilizar e cooperar com os outros.
  
7. Que é saudável fazer bagunça
Enquanto estiver cozinhando, experimente deixar seu bebê brincar com uma tigela de plástico e uma colher. Ele vai fazer um montão de descobertas: “Será que a colher vai caber na tigela?” “Com que força eu preciso bater a colher até fazer barulho?” “Quanto barulho eu posso fazer até a mamãe se irritar?”

 

 

 

8. Que você entende o que ele está sentindo
Você fez cócegas nos pezinhos do seu filho e ele deu risada. Mas depois de um tempo, ele ficou irritado, e você logo parou. Nesse momento, você o ensinou que sabe ler e respeitar seus sentimentos. Como o bebê não sabe falar, ele depende de como você interpreta os gestos e expressões faciais. Com um pouco de dedicação você entende o que ele quer dizer, e ele ao mesmo tempo, se esforça para se comunicar.

 

 

 

9. Que ele tem um mundo inteiro para explorar
Hoje você levou seu filho para a lavanderia, o parque e o banco. Pode ter sido um dia qualquer pra você, mas para os bebês, cada dia é uma aventura. Eles ainda não têm memória de longo prazo, então toda vez que vão ao parque, é quase como se estivessem indo pela primeira vez.

 

 

 

10. Que a vida tem uma rotina
Você trocou a fralda do bebê, deu almoço, colocou ele no carro e levou a irmã mais velha à escola, e mais tarde, quando estava escurecendo, começou a fazer o jantar. Fazendo as atividades casuais, você ensinou ao seu bebê que o mundo dele é consistente, previsível e estável. Percebendo essa rotina, ele vai tentar adivinhar o que vai acontecer em seguida e esperar ansioso pela próxima atividade.
 

Fonte: Revista Pais & Filhos

Achei tão perfeito que precisa colocar aqui.

Espero que gostem.

Categorias
Humor

Conselhos de crianças

“Nunca peça ao seu cachorro para cuidar da sua comida!”
Patrick, 10 anos

“Quando seu pai estiver bravo e perguntar à você “Tenho cara de bobo?”, não responda!”
Hannah, 9 anos

“Nunca diga para sua mãe que o regime dela não está funcionando!”
Michael, 14 anos

“Não puxe o dedo de seu pai quando ele lhe pedir isso.”
Emily, 10 anos

“Quando a sua mãe estiver brava com seu pai, não a deixe pentear o seu cabelo”
Taylia, 11 anos

“Nunca deixe o seu irmãozinho de 3 anos no mesmo cômodo que a sua lição de casa!”
Traci, 14 anos

“Um cachorro sempre tem mau hálito — mesmo que coma um tic-tac”
Andrew, 9 anos

“Nunca segure um aspirador e um gato ao mesmo tempo.”
Kyoyo, 9 anos

“Não dá para esconder um pedaço de brócolis no copo de suco”
Armir, 9 anos

“Não use calcinha de bolinhas embaixo de um shorts branco.”
Kellie, 11 anos

“Se quer um gato, comece pedindo um cavalo”
Naomi, 15 anos

“Não use canetinhas como batom”
Lauren, 9 anos

“Não incomode sua irmã quando ela estiver segurando um taco de baseball”
Joel, 10 anos

“Se você tirar nota baixa na escola, mostre o boletim à sua mãe quando ela estiver falando no telefone”
Alyesha, 13 anos

“Nunca tente batizar um gato”
Eileen, 8 anos

Quem disse que não há sabedoria nessas palavras….