Categorias
Gravidez

Apologia a Cesárea ? ou a Livre Escolha?

Esse texto foi de um comentário que fiz no Blog Mamíferas nesse post, sobre uma cesárea ficitícia, não muito boa.

Resolvi colocá-lo aqui pra deixar gravado a minha opinião a respeito do parto por cesárea e acrescentar que sei que a cesáreana se popularizou porque os médicos ganham MUITO mais $$ dos planos de saúde para uma cesáreana do que por um parto normal, sem levar em consideração o tempo que eles perdem: Uma cesárea é feita em 20 minutos e um parto normal pode demorar horas. Mas sou taurina, gosto do segurança e uma cesárea é uma cirurgia controlada. Tem riscos? Claro que tem! Mas no MEU julgamento é mais seguro.

 Sobre ser uma violência contra o bebê e o próprio corpo, eu acho que “violência” é a falta de escolha.

É o que acontece em hospital público,  com mulheres que passam por maus tratos , ouvindo gracinhas do tipo “Na hora de fazer foi bom, né?”, que dão a luz em ambulância por falta de vagas em hospital ou que não fazem o pré-natal adequado.

Acho que nós mulheres lutamos muito pra ter nossas opiniões respeitadas, nossos direitos respeitados e devemos levar essas conquistas para todos os planos inclusive em relação a filhos e família. Se podemos escolher Quando (se jovem ou madura), Onde (hospital ou em casa/ cama ou banheira) e com quem (pai natural ou emprestado inseminação), porque não escolher COMO.

Bom, não sou dona da verdade. Muito pelo contrário, costumo ter opiniões polêmicas em relação a quase tudo. E o mais legal da internet é você poder se expressar, conhecer opiniões diferentes da sua e ainda argumentar a respeito. 

Ta aí o texto da discórdia:

“Puts! Vou fazer um comentário aqui, que tenho certeza que vou ser crucificada: Sou totalmente a favor da cesárea.
Fiz duas, então acho que sei do que estou falando.
A 1ª foi de emergência, as 34 semanas de gestação por causa da queda de liquido amniótico, então não tive opção. Mas a 2ª (1 ano e 4 meses depois) foi por opção SIM.
Eu tenho 1,58m e estava carregando um bebê de quase 4 quilos, um bebê super saudável, mas eu já não dormia, não agüentava ficar mais de 20 minutos na mesma posição, meus pés doíam, meu estomago doía, minha coluna então não vou nem comentar. Não agüentava mais. Liguei para o meu médico, estava com 38,5 semanas e agendei a cesárea. Cheguei no horário marcado, fui bem atendida, fui ao meu quarto, já havia feito as depilações e retiradas (esmaltes, brincos, pulseiras, etc.) necessárias, guardei minhas coisas, dei as orientações ao pai e as avós corujas sobre o que eu e o bebê vestiríamos após, assisti um pouco de televisão…Perto do horário, coloquei a camisola horrorosa (isso é verdade!) do bumbum de fora desci, para a sala de espera do centro cirúrgico (sim, o centro cirúrgico tem uma sala de espera!rsrs) em 20 minutos estava na maca e com o meu bebê no colo.
Veja bem, quero deixar bem claro que NÃO ESTOU FAZENDO APOLOGIA A CESÁREA! É uma cirurgia complicada, de recuperação lenta e doloridíssima, mas sou totalmente a favor do direito de escolha da mulher.
E antes do mimimi de “você não pensa no bebê”, “não era hora dele nascer ainda” e blá,blá,blá eu respondo com 2 casos super próximos de mim de pessoas que forçaram o parto natural e hoje tem filhos com problemas em decorrência do parto (uma por falta de oxigênio pro bebê, porque ela não tinha abertura suficiente e não queria cesárea de jeito nenhum e outra que quase morreu de pressão alta, porque queria “sentir a dor REAL de ter um filho” e quando se decidiu pela cesárea já era tarde).
{Só quero lembrar que você não precisa sentir dor, o medico pode, a critério dele, aplicar a anestesia (peridural se não me engano) e você pode ter o parto natural}
Mas, repito: SOU A FAVOR DO PODER DE ESCOLHA DA MULHER, Acho que CADA UM SABE ONDE SEU CALO APERTA E a ciência e a medicina evoluíram, entre outras coisas, pra isso. Para você ter o direito de escolher o que você julga melhor.”

 

Categorias
Blog

Sobre o blog, anuncios, hospedagem e o meu saco cheio. Não perca seu tempo lendo esse post, estou de TPM.

Como explico na pagina Sobre/Blog, comecei o De Repente: Mãe depois que terminei a faculdade porque sentia vontade de escrever.
E que graça tem escrever se não for pra ser lido? Um blog resolvia meu problema!

Como na época eu trabalhava numa agencia de comunicação, estava com um bebê no colo e outro na barriga e com a casa em plena reforma para receber duas crianças, a ultima coisa que se passava pela minha cabeça era ser uma blogueira profissional.

Sendo assim, fiz um cadastro no blogspot e passei a publicar meus textos. Coisas que gostava e informações que achava importante passaram a entrar em pauta, afinal na minha primeira gravidez procurei informações a respeito de ter um bebê, fases da gravidez etc… e só encontrei dois tipos de informação: Muito técnicas ou inacabadas. Não encontrei nenhum blog de uma pessoa real, que tem duvidas, dificuldades, etc..A maioria dos blogs que encontrei na época,acabavam junto com a gravidez. E achei que seria um nicho legal para escrever. Falar sobre algo que eu estava vivendo para pessoas que estavam passando pelas mesmas situações ou que já passaram e assim trocar idéias.
E deu certo.
Deu tanto certo que conheci pessoas que fazem Blogs profissionalmente e acabei gostando da idéia. Só da idéia. Como disse acima não sobrava tempo.

Se você que está lendo esse post não acredita em Deus então pode chamar de sorte, destino ou do que quiser. Mas assim como profissionais do mundo dos blogs cruzaram meu caminho logo a vida tratou de me arrumar um pouquinho daquilo que eu reclamava que não tinha. TEMPO
Fui demitida.
A CDF aqui, que nunca repetiu de ano, que trabalha desde os 14 anos e nunca havia sido dispensada de um emprego, sem mais nem menos foi demitida. “Você não tem perfil !” Não tinha perfil pra fazer algo que fazia a mais de 10 anos. O atendimento a cliente.
Claro que na hora fiquei p* da vida e preocupada, ficar desempregada com dois filhos pequenos é desesperador.

Mas, há males que vem pra bem e agora sou grata.
Pude aproveitar coisas maravilhosas de meus filhos, que só se passa uma vez na vida e que eu nem percebia que estava perdendo. Dou muito mais valor hoje: Os primeiros passos do Samuel. Os primeiros dias de escola da Maria e assim vai…

O lobo perde o pêlo, mas não perde o vício. 40 dias depois de estar em casa e depois de já ter organizado todos os armários de casa, pintado duas paredes, ter tirado a fralda da Maria e mudado a cor do meu cabelo 3 vezes, passei a sentir falta do trabalho, da escrita.

Justo eu que sempre detestei redação na escola, estava viciada em escrever.

E veja só como são as coisas, na mesma semana que me dei conta da falta que sentia @samegui entrou em contato comigo a respeito do fechamento de uma possível parceria com o portal de Blogs que ela administra. Tinha mais de 1 ano do primeiro contato.
Mas pra isso era necessária a profissionalização. De novo a profissionalização me cercava.

Minha reação: É pra já! Era simplesmente perfeito, achei alguma coisa pra fazer depois que as crianças dormiam. Um Blog,profissional. Eu trabalharia em casa e ainda ganharia um Tutu.

É só que a rapadura é mais dura que doce.

Quando ela me pediu um relatório do “Analyticals” respondi: O que é isso?
Nunca tinha reparado no tráfego do meu site, não sabia se era alto, baixo, médio,anguloso. Não sabia muito bem a diferença entre registrar domínio e hospedar site, SQL, PHP, CSS pra minha era palavrão. O cambada de siglazinhas FDP.
E o pior é que fui tomando gosto pela coisa, me animando com a idéia. E os números só comprovam isso. Aumentei a visitação do Blog de uma media de 15 para 642 PageViews por dia, ou seja tenho 42 vezes mais visitação desde que registrei um domínio.

Mas, como diria Drummond no meio do caminho tinha uma pedra. Como cheguei a contar lá no diário, começaram a aparecer algumas coisas para me desanimar.

Recebi algumas criticas nada construtivas, peguei alguns textos meus republicados sem autorização, ou pior ainda, com algumas alterações e assinados por outras pessoas, problemas com minha hospedagem que adora deletar o meu banco de dado, como o que aconteceu nessa semana e o site ficou praticamente 3 dias fora do ar, cansaço, estresse e por ai vai…

E pensei em desistir.

Pra que dormir 6 horas por dias, quebrar a cabeça com coisas que eu nunca tinha visto na vida, estressar meu marido que tem dia que só falta tirar o computador da tomada… Para não ter retorno.
Primeiro porque pouquíssimas pessoas comentam o que vêem, a média aqui é de 1 comentário a cada 1.250 visitas. Aproveito aqui e faço apelo gentil e educado: COMENTA P****! Quero saber se está bom, se está ruim, se tá marromenos…
E o lado financeiro, lógico Pago para ter esse blog. Os anúncios que você via aqui só contabilizavam a partir do clique. Do seu clique. O que praticamente não acontecia.
Para ter uma idéia, no meu dia recorde de audiência, graças a uma home no Ocioso, tive mais de 14 mil visitas e não aconteceu NENHUM clique no Banner de anúncios. É, NENHUM!
Então simplesmente resolvi tirar. Algo pra ficar pesando no carregamento da página, que prejudique o meu leitor e que não traga retorno $$. Obrigada, mas eu dispenso.

E então como ia passar a manter o Blog? Porque eu tenho um custo pra manter esse site no ar, depois de aprender a diferença entre domínio e a hospedagem descobri que eles também têm um preço. Um preço bem salgado ao meu ver. Internet deveria ser mais barata.

Ééééé…

O sonho de trabalhar em casa, trabalho mesmo uma média de 3 horas por dia 7 dias por semana das 23:00 ás 01:00. Fazendo algo que gosto, ganhando o suficiente pra sustentar os filhos e ainda fazer a progressiva a cada três meses foi por água abaixo, logo no primeiro semestre.

Ter um blog não é moleza!

É um tiro no escuro. Talvez você acerte na veia, ou o tiro simplesmente, pode só passar de raspão.
Queria ter uma história bonita para por nessa parte do post e dizer que tive um sonho, que encontrei um amigo que ficou milionário catando latinha ou que simplesmente passeio por algum fato na minha vida que me fez agir com desapego ao mundo material.
Mas não tenho, mesmo porque eu sou taurina do primeiro decanato e ciúme é sobrenome e não adjetivo de minha pessoa, logo, desapego não está no meu dicionário. Muito menos tenho um amigo milionário.
O que sei é o que todo mundo sabe. Primeiro que empreendedorismo não é para os fracos….rs
Tem que ter sangue frio e saber que o investimento vem em longo prazo, longuíssimo, longuissíssímo.

Então, digo aos folgados plagiadores que terão mais textos para copiar, aos servidores de hospedagem que terão mais bancos de dados para sumir “Infelizmente, Senhora”

E  ao povo que FICO!

#surtei e #ignora

Categorias
De Mãe pra Mãe

Jogadores da copa 2010 e suas mães

O Jornal Nacional, fez um especial com depoimentos de amigos e familiares dos jogadores que vão a Copa do Mundo 2010.
Assistindo os vídeos a gente descobre que eles tem origens diferentes, historias diferentes, mas uma coisa é lugar comum na vida da maioria.
A grande importância da mãe.
A família em todas as histórias, foi a base pra seguir o sonho de ter uma vida melhor.
Separei os vídeos que mais gostei.

Julio César. Goleiro


A mãe do Julio César, pegava ele na escola pra levar pra escolinha de futbol e dentro do carro ele ia comendo a quentinha do almoço que ela levava.
“A minha mãe, se eu cheguei onde cheguei, tem um percentual muito grande nisso. Não posso falar, senão me emociono. Ela foi minha escudeira sempre”, conta o goleiro.

Maicon. Lateral

A Mãe do Maicon, já tinha perdido um filho atropelado, qdo viu o Maicon debaixo de um carro aos 10 anos de idade. Estava grávida e perdeu o filho que esperava com o susto.
“Eu disse assim: ‘esse meu filho nasceu para brilhar’, conta a mãe.

Gilberto.

Gilberto Silva, largou o futebol no America, onde não recebia salário, para trabalhar numa fábrica de caramelo e ajudar a família, quando sua mãe ficou doente. Aqui é a historia de amor do filho pela mãe.
“Ele sentiu no coração para deixar e voltou, veio para ajudar o pai dele. Ele foi incrível, foi demais”, diz a mãe.

Nilmar.

Nilmar mamou até os 3 anos de idade e fraturou os dois joelhos.
“Ele mamou até os três anos no peito”, acrescentou a mãe do atacante.  Foi uma luta criar. Antes do caçula, Dona Marisa já tinha um casal de filhos. “Ela achou que tinha alguma coisa na barriga. Foi fazer exame e era eu. Ela até brinca que eu sou o quisto, a rapa do tacho”, comenta Nilmar.

Julio Baptista. Meio Campo

A mãe que criou ele sem pai, não gostava que ele jogava bola. Ficava louca da vida com a parede suja de tanto bater a bola.
Tá vendo, a gente também se engana…
… a mamãe Vilma, não gostava de bola não. “Se eu visse ele jogando, eu dizia que eu ia bater”, lembra ela.

Felipe Melo

Felipe Melo, era hiperativo e deu um trabalhão para os pais. Aí, o pai tentou o futebol pra ver se cansava a peça. Deu certo.
“Tinha dia que eu dizia: ‘Meu filho, pelo amor de Deus, para um pouquinho com esse barulho aí, com o barulho da bola’”, conta a mãe Silvania.

Robinho

Era um pentelho pelo que eu vi. Parece que passou bastante dificuldade quando era pequeno e é filho único. E a dona Marina, mãe do Robinho, foi sequestrada em 2004, assim como a Mãe do Luis Fabiano, também convocado.
Ah! o Robinho tinha o mesmo apelido do Samuel. “Gordo”
“Ele dizia: ‘Mãe, o quadro da senhora caiu. Mas não fui eu que quebrei, foi a bola que bateu’”, conta Marina.

Thiago Silva.

Quase desistiu do futebol, depois que foi dispensado do Flamengo aos 13 anos de idade, de uma maneira não muito gentil: “Igual a vocês eu tenho aqui, vocês tem que ser melhor que isso”. Agora me diz, cadê o juizado de menores, ou um pai bravo pra responder a altura ? Como é que pode, uma pessoa falar desse jeito com meninos que estão lutando atrás de um sonho por uma vida melhor ? Quem não tem tato não pode trabalhar com criança. A sorte dele foi a mãe, Dona Ângela, que não deixou o menino desistir.
Não bastasse isso, foi pra Rússia e lá descobriu estar com Tuberculose. Ficou 6 meses internado, os 2 primeiros meses sem receber visitas. E lá estava Dona Ângela, tomando conta do filhote.
“Hoje, todos nós celebramos essa vitória. Uma grande vitória na vida do meu filho”.

Gilberto. Lateral

Pra mim, a história mais bonita. Dona Elenice teve seis filhos homens. Seis jogadores de futebol.
Ficou viúva quando o Gilberto tinha seis meses de vida.
Criou seis homens SOZINHA. Trabalha como faxineira, ligava do serviço pra ver se estava tudo bem,os mais velhos que cuidavam dos mais novos. Durante uma época teve que pedir, para alimentar as cianças. Uma guerreira. Amor de mãe não tem tamanho.

“Ainda teve gente que perguntava: ‘Você não quer dar ninguém?’. Eu falei: ‘Não, vou criar eles, tenho fé em Deus que eu vou criar’”, revela Dona Elenice.
“Minha mãe saía de casa meio-dia e só voltava 22h, 23h, porque ela trabalhava em companhia de limpeza”, lembra Nildeson.

APP

Categorias
Curiosidades e Variedades

Pin-Ups

Atendendo a milhares de pedidos… [Mentira. Ta aí Fê, vê se para de me perturbar agora!].
Minha coleção de imagens de Pin-Ups.
Essa minha coleção tem desenhos, pinturas e outras ilustrações feitas por imitação a fotos reais ou fruto da mente dos artistas mesmo. Reparem que o nome do artista, está no nome do arquivo.

Há quem não goste.
Quem diga que as pin-ups foram as precursoras da “mulher objeto”, que as mulheres são apresentadas apenas em cenas de cunho machistas e blá, blá, blá…
Minha opinião: “Vê com o olho e lambe com a testa” como diria em bom e claro português Dn. Gorete, minha mãe. “Tô nem aí”
Não aceito esse tipo de referencia negativa das Pin-ups pra mim, procuro ficar com o lado cor de rosa das coisas, acho que são engraçadas, bonitas e até porque não, possíveis. Reparem como elas são mais gordinhas que os modelos atuais de beleza.

[Clique para Ampliar]

Espero que gostem.

APP = Até o Próximo Post

Categorias
Curiosidades e Variedades

Sugestão de Presentes para Mães Modernas

Nada de Eletrodoméstico, Digníssimos  !!!

Divulgação

Todo mundo gosta de ouvir música. Isso ninguém nega! Seja no metrô, no ônibus, no carro, alguns não largam seus fones por nada. E então, porque não deixar esses momentos mais gostosos e aprimorar a decoração de sua casa, ou do seu trabalho? Selecionamos caixinhas de som super divertidas para você comprar ou presentear. Vai deixar tudo mais animado e colorido: aumente o som e deixe a música tomar conta de você.

Se você tem um perfil mais meigo ou quer agradar alguém que gosta de modelos mais delicados, opte por essa caixinha de porquinhos de pelúcia, eles são lindinhos e vão encantar a sua casa. Por R$ 69,80 na Multilaser.

Se você preserva a natureza, esses macaquinhos vão deixar o seu ambiente muito mais feliz. Por $ 22,90 (45 reais em média) na sourcingmap. Na mesma loja conheça esses ursinhos de pelúcia, eles escondem as caixinhas trazendo um charme incomparável. Por $ 22,90 também.

Para as mães modernas, que adoram tecnologia e estão sempre conectadas, mouses divertidos, cases para notebook e suportes para laptops são ótimas opções de presente para o Dia das Mães.

MOUSES PAT-SAYS-NOW Os mouses convencionais e monocromáticos estão com os dias contados. A Asys, empresa gaúcha de acessórios para notebooks, acaba de fechar mais uma parceria de sucesso e trouxe para o Brasil os divertidos mouses da marca suíça Pat-Says-Now. Para as mães conectadas, os mouses de coração, pimenta, joaninha, além dos estampados de flores e zebras, farão o maior sucesso.

Vendas: lojas CTIS, Cluster e www.cosenonparole.com.br (com entrega para todo o Brasil).

Preço sugerido: R$149,00

CASES PARA NOTEBOOKS, CÂMERAS DIGITAIS E IPHONE Para as mães geeks de plantão, a linha de produtos em neoprene da Built NY é objeto de desejo. Eles são desenvolvidos em neoprene, práticos e super resistentes. Tem pasta para notebook, porta-câmera digital e cases para Ipod e Iphone. São vários modelos, cores e estampas para escolher a que mais combina com o estilo da sua mãe.

Para as mais cults, a Asys, representante exclusiva da Built no Brasil, trouxe para cá a linha Alexander Girard, com três estampas do badalado designer francês: Retrospective (1952), January (1963) e La Fonda Del Sol (1961), inspirado no restaurante La Fonda Del Sol, em Manhattan.

Vendas: Fnac, Fastshop, CTIS, www.cosenonparole.com.br; www.submarino.com.br;

Preços sugeridos: de R$80,00 a R$350,00.

 

LAPTABLE COLORPara aquelas mães que passam horas e horas usando o notebook em todos os cantos da casa, a Laptable Color, é de encher os olhos. São oito cores diferentes – rosa, laranja, amarelo, verde escuro, verde claro, marrom, roxo e vermelho. Como os tampos são vendidos separadamente, é possível mudar a cor do móvel de acordo com a decoração da casa ou do escritório.

Prática e funcional, ela tem ajustes de altura, inclinação e aproximação. De aço cromado com tampos de madeira, a Laptable Color possui mesa auxiliar, revisteiro e local para o mouse e modelos para destro e canhoto.

Venda: www.laptablecolor.com.br e www.cosenonparole.com.br (com entrega para todo o Brasil)

Preço: R$1655,90 (R$290,00 cada kit de tampos coloridos)

#ficaadica

Categorias
Blog

Mãe ou Mulher? Ahh! Think Pink…


Mulheres são criadas para serem mães.
Brincamos de ser mãe, desde pequenas.
Primeiro da boneca, depois do irmãozinho e mais tarde casada, somos mãe do marido antes (durante e depois) de ser dos filhos que teremos.

Mesmo que nunca tenha gerado um filho, mesmo que nunca venha a gerá-lo arrumamos um jeito de ser mãe.
Sem ficar grávida, seremos mães adotivas, tias babonas, madrinhas felizes, professoras orgulhosas ou fiéis defensoras de uma causa, que ao nosso ver será sempre justa.
Quantas mulheres que a vida não escolheu para a maternidade de seus próprios filhos, não se tornaram mães das suas próprias mães? Ou do pai? Ou do avô? De um tio? De uma Gata? De um cachorro?
A maternidade é I-N-E-V-I-T-Á-V-E-L.

Toda MULHER VIVE PARA SER MÃE !
Não que eu ache que isso seja uma coisa ruim.

Aprendemos desde cedo a dar (com sem trocadilhos, por favor…).
Dar amor. Dar carinho. Dar atenção.
E em troca não pedir muito.

A matemática é mais ou menos a seguinte:
Um sorriso de bebê = 3 meses dormindo 4 horas por dia + uma caderneta de poupança em roupinhas, fraldas e leite Duas calças jeans favoritas.

E tá bem pago!

Porque há coisas que não tem preço.
Que o dinheiro não compra. Que não se acha por aí para vender.

Amor.
Amar é nativo da mulher.

Opa!
Mulher?

Dá tempo de ser mulher? Sobra tempo pra isso, depois de toda essa dedicação, esse amor?
Tem que dar! Tem que sobrar!
Depois da revolução que fizemos no século passado por direitos iguais, ganhamos deveres iguais.
E além de fazer tudo aquilo para que somos criadas, agora também temos que dar conta do que somos cobradas.
Ser belas, ser profissionais competentes, ter independência financeira e por aí vai.

Devemos ser mãe (de todos) e ainda ser boas profissionais.
Passar uma camisa como ninguém e preparar um relatório completíssimo.
Ir naquela reunião do outro lado da cidade e na volta passar no supermercado.
Pintar as unhas e fazer o cabelo depois de por na máquina de lavar as roupas separadas por cor.

E com tudo isso a gente se liga que TODA MÃE É MULHER.

Não dá pra separar uma coisa da outra.
Não dá pra ser só mãe,
Ou só mulher,
Ou só profissional…

Então,  se vc ainda tem duvidas quanto, o porque de eu estar aqui e qual o propósito desse blog, eu explico:

O PROPÓSITO DESSE BLOG É SER COR-DE-ROSA. E TENHO ORGULHO DISSO.
ESTOU AQUI PARA INFORMAR  MAS  PRINCIPALMENTE ENTRETER.

A gente já tem coisas demais pra se preocupar. Informação demais para canalizar

Navega aí e relaxa…

“Nota mental: Depois de escrever o post sobre pra que serve o blog, comprar a lâmpada da geladeira que tá queimada há 3 dias e na volta agendar a progressiva.”