Categorias
De Mãe pra Mãe

Jogadores da copa 2010 e suas mães

O Jornal Nacional, fez um especial com depoimentos de amigos e familiares dos jogadores que vão a Copa do Mundo 2010.
Assistindo os vídeos a gente descobre que eles tem origens diferentes, historias diferentes, mas uma coisa é lugar comum na vida da maioria.
A grande importância da mãe.
A família em todas as histórias, foi a base pra seguir o sonho de ter uma vida melhor.
Separei os vídeos que mais gostei.

Julio César. Goleiro


A mãe do Julio César, pegava ele na escola pra levar pra escolinha de futbol e dentro do carro ele ia comendo a quentinha do almoço que ela levava.
“A minha mãe, se eu cheguei onde cheguei, tem um percentual muito grande nisso. Não posso falar, senão me emociono. Ela foi minha escudeira sempre”, conta o goleiro.

Maicon. Lateral

A Mãe do Maicon, já tinha perdido um filho atropelado, qdo viu o Maicon debaixo de um carro aos 10 anos de idade. Estava grávida e perdeu o filho que esperava com o susto.
“Eu disse assim: ‘esse meu filho nasceu para brilhar’, conta a mãe.

Gilberto.

Gilberto Silva, largou o futebol no America, onde não recebia salário, para trabalhar numa fábrica de caramelo e ajudar a família, quando sua mãe ficou doente. Aqui é a historia de amor do filho pela mãe.
“Ele sentiu no coração para deixar e voltou, veio para ajudar o pai dele. Ele foi incrível, foi demais”, diz a mãe.

Nilmar.

Nilmar mamou até os 3 anos de idade e fraturou os dois joelhos.
“Ele mamou até os três anos no peito”, acrescentou a mãe do atacante.  Foi uma luta criar. Antes do caçula, Dona Marisa já tinha um casal de filhos. “Ela achou que tinha alguma coisa na barriga. Foi fazer exame e era eu. Ela até brinca que eu sou o quisto, a rapa do tacho”, comenta Nilmar.

Julio Baptista. Meio Campo

A mãe que criou ele sem pai, não gostava que ele jogava bola. Ficava louca da vida com a parede suja de tanto bater a bola.
Tá vendo, a gente também se engana…
… a mamãe Vilma, não gostava de bola não. “Se eu visse ele jogando, eu dizia que eu ia bater”, lembra ela.

Felipe Melo

Felipe Melo, era hiperativo e deu um trabalhão para os pais. Aí, o pai tentou o futebol pra ver se cansava a peça. Deu certo.
“Tinha dia que eu dizia: ‘Meu filho, pelo amor de Deus, para um pouquinho com esse barulho aí, com o barulho da bola’”, conta a mãe Silvania.

Robinho

Era um pentelho pelo que eu vi. Parece que passou bastante dificuldade quando era pequeno e é filho único. E a dona Marina, mãe do Robinho, foi sequestrada em 2004, assim como a Mãe do Luis Fabiano, também convocado.
Ah! o Robinho tinha o mesmo apelido do Samuel. “Gordo”
“Ele dizia: ‘Mãe, o quadro da senhora caiu. Mas não fui eu que quebrei, foi a bola que bateu’”, conta Marina.

Thiago Silva.

Quase desistiu do futebol, depois que foi dispensado do Flamengo aos 13 anos de idade, de uma maneira não muito gentil: “Igual a vocês eu tenho aqui, vocês tem que ser melhor que isso”. Agora me diz, cadê o juizado de menores, ou um pai bravo pra responder a altura ? Como é que pode, uma pessoa falar desse jeito com meninos que estão lutando atrás de um sonho por uma vida melhor ? Quem não tem tato não pode trabalhar com criança. A sorte dele foi a mãe, Dona Ângela, que não deixou o menino desistir.
Não bastasse isso, foi pra Rússia e lá descobriu estar com Tuberculose. Ficou 6 meses internado, os 2 primeiros meses sem receber visitas. E lá estava Dona Ângela, tomando conta do filhote.
“Hoje, todos nós celebramos essa vitória. Uma grande vitória na vida do meu filho”.

Gilberto. Lateral

Pra mim, a história mais bonita. Dona Elenice teve seis filhos homens. Seis jogadores de futebol.
Ficou viúva quando o Gilberto tinha seis meses de vida.
Criou seis homens SOZINHA. Trabalha como faxineira, ligava do serviço pra ver se estava tudo bem,os mais velhos que cuidavam dos mais novos. Durante uma época teve que pedir, para alimentar as cianças. Uma guerreira. Amor de mãe não tem tamanho.

“Ainda teve gente que perguntava: ‘Você não quer dar ninguém?’. Eu falei: ‘Não, vou criar eles, tenho fé em Deus que eu vou criar’”, revela Dona Elenice.
“Minha mãe saía de casa meio-dia e só voltava 22h, 23h, porque ela trabalhava em companhia de limpeza”, lembra Nildeson.

APP

Categorias
Blog

A rua escura, o empreendedorismo e o excesso de queratina

Completei 27 anos no final do mês passado e estou em plena crise dos 30.

Na verdade ela começou desde o ano passado qdo fiz 26 e fiquei mais próxima dos 30, que dos 20.
Eu sou meio peru mesmo, vivo morrendo de véspera. Acho que me dei conta da minha atual situação: Casada, dois filhos, sem emprego fixo…

Tive uma criação típica brasileira classe média baixa. Estudar para ter um emprego fixo, se for funcionária pública então, melhor ainda.   

Mas nunca tive vocação pra bater carimbo.
Eu bem que tentei, sou técnica em administração de empresas. Mas não fiquei mais do que 1 ano em cada estágio. Qdo eu tinha certeza de que não tinha mais nada pra aprender, ir trabalhar se tornava uma tormento.E eu simplesmente ia procurar outro emprego.

O que eu não sabia e o que ninguém havia identificado em mim, é que na verdade eu sou uma empreendedora nata. Sempre tomo a frente, não consigo deixar nada por fazer ou pra outro fazer e principalmente sou fiel aos meus ideais [Momento auto-analise auto-estima alta… ].
E me descobrir empreendedora ás vésperas dos 30 anos me assustou [Como muitas outras coisas que tem acontecido ultimamente, medrosa nata feelings…] .
Estou enfrentando nesses últimos 2 meses,2 dos Top 10 maiores medos internos.

Dentista e Empreendedorismo.

Dentista, por que duas gravidezes em 3 anos, tornaram a minha dentição um queijo suíço. Canais, restaurações e extrações serão necessárias. E talvez Freud explique, mas toda vez que sento naquela cadeira onde eu não tenho controle, aquela luz ofuscante que me cega e aqueles malditas miniaturas de motores, me sinto num filme de terror a lá Sexta-feira 13.
A palavra pra mim que é sinônimo de dentista é TORTURA.
Não é nada pessoal com o dentista em si, muito pelo contrario geralmete eles sao um amor. O problema sou eu. Eu não gosto de ninguém mexendo nas minhas “partes duras” e em nada do meu corpo que tenha muita queratina. me dá no mínimo aflição. Pra se ter uma idéia, fui a manicure 3 vezes na minha vida. 1 no dia do meu casamento, e as outras 2 ás vésperas da internação na maternidade quando eu já nem enxergava mais o meu pé, qto mais alcançá-lo.
Todo mundo tem manias doidas, né? Diz que sim, por favor.
Bom, mas voltando, passo mal, minha pressão cai, tenho arrepios, transpiro, sinto dores em lugares que eu nem sabia que tinha, afff… Isso pra mim sem dúvida é um tipo de provação. É pra eu aprender a enfrentar meus medos com Unhas e Dentes, literalmente .

Tive um sonho no meio do mês de abril, que me deixou alguns dias pensativa e com meu pijama suado[uuuiii..].
Eu tinha que percorrer uma rua que em formato de ‘L’. E não sei por que cargas d’agua, eu estava sozinha e TINHA que passar sozinha.

Já no começo dava pra perceber que depois de alguns passos a rua ficava escura, um breu total. E mesmo assim eu fui.
Enquanto eu percorria a escuridão encontrava algumas pessoas, algumas queriam informação e estavam mais perdidas que eu, outras queriam me derrubar. É, me derrubar no chão mesmo, de bunda no chão.
Mas o que me dava medo mesmo eram as motos que passavam vigiando a rua, sabe Deus porque, toda vez que eu via uma moto chegando eu me escondia atrás de um post. E em contra ponto toda vez que passava um carro, os faróis sempre acesos iluminavam o caminho e eu sabia por onde me guiar.
No final da rua, depois de uma leve subida, voltava tudo ao normal, o dia amanhecia. E eu encontrava não sei quem que tava me esperando e ia pra não sei onde.

Aí acordei com a Marie lambendo meu nariz e pedindo comida.

rsrs
Vou fazer um paralelo.
A profissionalização do meu Blog as dificuldades iniciais e a briga contra o plágio, a Locaware e a dificuldade com o BNDES. Essas tarefas são a minha rua escura e as dificuldades os motoqueiros.

Mas sabe qual é a lição que to tirando disso tudo: que mesmo, formada, casada, com dois filhos e preste a entrar na “idade do sucesso” eu ainda tenho muitos desafios pra superar e sempre vou ter.

Eu nasci pra matar Leão.

Categorias
De Mãe pra Mãe

A História da Papagaia que fez Aniversário virar Natal.

Nessa semana, digníssimo completou mais um ano de vida.
Como é de nossa tradição trocamos presentes já à meia noite.
Somos muito ansiosos para esperar o bolo…

Então a 0:00 do dia 6 de abril, peguei a Maria Luiza (que ainda estava acordada) e busquei os presentes “escondidos” no armário da cozinha.

Quando ela viu as embalagens, logo soltou:
“_Pesente? “
Como que quis dizer _ Pra mim? Não precisava…

Logo tratei de explicar que era aniversário DO papai e quem ganhava o presente era ele.

Ela subiu as escadas reclamando alguma coisa que não entendi, mas tbm não dei muita bola.

Quando o pai dela abriu o ultimo pacote, eis que nos acontecesse mais uma de suas papagaisses.
Com um beicinho que dava pra dar até um nó de tão grande e os olhinhos CHEEEIOS de lágrima ela solta:
“_ Mamãe, cadê pesente minha ? Num tem?”

Puts!

Na hora, o pai dela que estava todo empolgado com a furadeira que parafusa (!), broxou…
“_ Filha é uma furadeira, se fosse brinquedo papai te dava! “

Lá vai a bruxa, insensível, cruel e sem coração aqui, que não se ligou que a menina sentiria a falta de um presente, leva-lá de volta para o seu respectivo quarto e finalmente faze-la dormir.

Lógico que passei o resto da noite tirando uma barato do digníssimo:
“_Mô, cadê anel de diamante minha?” Fiz beicinho e tudo mas, não funcionou. Acho que faltou as lágrimas…

Bom, como sei que ela é muito pequenininha pra entender que quem ganha presente é só o aniversariante. Durante o dia, como ela estava mesmo precisando de umas roupinhas, tratei de comprá-las para “dar de presente” antes dos parabéns a noite.

Ao pegá-la na escola, logo avisei que havia comprado um presente pra ela e pra meu espanto ouvi a seguinte afirmação:
“_E do Gôdi também!”

Como assim? Virou Natal?
Um faz aniversário e tem que comprar presente pra todo mundo?
Engraçado que qdo respondi, perguntando se ela havia comprado o meu também, logo ela rebateu:
“_O da mamãe ta gadado.”

Ou seja, EU tenho que comprar presente pra todo mundo, porque o meu tá gadado!

Como ela volta da escolinha sempre exausta, aproveitei a meia hora de sono dela pra pegar as roupinhas que havia comprado e colocá-las nas caixas de presente.
Como Pro Gôdi, tinha comprado só uma bermudinha, aproveitei os sabonetes da ultima compra de mercado e coloquei na embalagem pra completar a caixa.

Não preciso nem falar a alegria que foi ela abrir a caixa de presente dela com 2 camisetinhas e a do irmão com os sabonetes.

“_Hummm, pesente do Gôdi é sirooso…”.

E assim ficou decretado que na minha casa terá Natal 5 Vezes ao ano.

Fim!

Categorias
Curiosidades e Variedades De Mãe pra Mãe

Transporte de Crianças no Carro. Amarra ele!

Nem deveria ser preciso dizer que não se deve ter mais crianças do que janelas no carro.Erma Bombeck.Semana passada, voltando da escolinha onde tinha acabado de pegar a Malu, tomei um susto que quase me fez bater o carro.
Olhei no retrovisor e lá estava a boneca em pé no meio do banco de trás, brincando/brigando com o irmão que estava na cadeirinha.
A filha da mãe (posso xingar, afinal, é minha mesmo) se soltou do cinto da cadeirinha onde estava e foi tomar um pouco da água do copo do irmão, como se fosse a coisa mais natural do mundo, enquanto eu estava no meio da Av. Aricanduva, com um ônibus do lado direito, um caminhão de transporte de combustível do lado esquerdo e um motoqueiro querendo passar por cima do teto do carro.

Tirando os comerciais da MTV e trocar fusíveis, não há coisa que eu tenha mais medo no mundo do que de acidente de transito.
Por isso sempre tomo todos os cuidados necessários e quando estou com eles, dirijo como se carregasse taças de cristais numa bandeja de prata em cima do painel frontal.
Na hora que vi ela em pé e os dois se pegando no banco de trás, imediatamente acionei o pisca alerta e entrei na primeira rua em que pudesse parar, para amarrar ela de novo. Dei um PICTHI, briguei, falei, expliquei e de lá pra cá, ela pede pra descer da cadeirinha até qdo o carro tá parado.
Mas quem garante que ela não vai soltar de novo?

Outro perreguengue que passei com ela foi voltando do aniversário da minha prima,a noite, estava eu no banco de trás do lado da cadeirinha dela, quando de repente vejo a porta do lado dela se abrindo.

Nós que estávamos acostumados com  carros de duas portas, havíamos esquecido de ativar a trava de proteção para crianças, para impedir a abertura das portas do lado de dentro do carro. Ainda bem que eu tava Ninja, na hora e não tinha nenhum motoqueiro passando do lado.

“As crianças com idade inferior a dez anos devem ser transportadas nos bancos traseiros em todas as vias do território nacional   

“É obrigatório o uso do cinto de segurança para condutor e passageiros em todas as vias do território nacional, salvo em situações regulamentadas pelo CONTRAN.” 1   

A legislação brasileira, entretanto, apesar de determinar que crianças menores de 10 anos sejam levadas no banco traseiro dos automóveis, não exige o uso de cadeiras infantis, assentos especiais para recém-nascidos, bancos de ajuste de altura para crianças de 04 a 10 anos ou qualquer outro tipo de dispositivo de retenção apropriado. 2   

Além disso, muitos pais desconhecem a importância de utilizar dispositivos de retenção no transporte das crianças, o que pode ser evidenciado pelo fato dos acidentes de trânsito serem a principal causa de morte na faixa etária de 01 a 14 anos no Brasil 3. Em contraste à essa realidade, o uso da cadeira infantil, quando instalada e usada corretamente, reduz os riscos de morte em 71% e a necessidade de hospitalização em 69%”   

Fonte: INMETRO

As cadeirinhas são importantes porque os cintos de segurança dos carros são projetados para pessoas com mais de 1,45 de altura e o ajuste adequado à altura da criança é feita através da cadeirinha.  E a gente ta cansada de saber que as cadeirinhas são proteção extra pra os tesouros,  notícias como as abaixo estão sempre aparecendo:

No site da ONG Criança Segura, mostra a Maneira adequada de transportar as crianças.

Como Transportar Crianças de até 1 ano de idade no carroComo Transportar crianças de até 1 ano de idade no carro Como transportar Crianças de 1 a 4 anos no carroComo transportar Crianças de 1 a 4 anos no carro
Como transportar crianças de 4 a 10 anos no carroComo transportar crianças de 4 a 10 anos no carro
Figura 1: Crianças de até 01 ano devem ser transportadas em cadeiras infantis, no meio do banco traseiro e de costas para a frente do veículo.    Figura 2: Crianças de 01 a 04 anos devem ser transportadas em cadeiras infantis de frente para o vidro dianteiro.    Figura 3: Crianças de 04 a 10 anos devem ser transportadas em assento infantil especial, presas com o cinto de segurança do veículo.   
  • O assento da figura 3, que não pode ser improvisado com almofadas ou outros objetos, eleva o tronco da criança para a posição adequada, proporcionando maior conforto e evitando perigo de estrangulamento.
  • É importante lembrar que crianças soltas no banco de trás estão sujeitas a riscos muito maiores de lesões graves e morte. Além disso, em um acidente, outros ocupantes do veículo também correm riscos. A título de ilustração, em uma freada brusca a 50Km/h, uma criança de 10kg, peso normal para uma criança de 1 ano de idade solta no banco de trás pode ser arremessada para a frente do carro com um peso correspondente a 250kg.
  • Crianças não estão seguras quando colocadas no colo de um adulto, mesmo no banco traseiro. Em caso de acidente, o adulto pode prensá-la contra o painel ou banco dianteiro, co m graves conseqüências.

Fonte: ONG Criança Segura www.criancasegura.org.br

 No Site da CET– Companhia de Engenharia de Tráfego – de São Paulo também tem algumas Dicas.

Nunca Transporte as Crianças:

no banco da frente, mesmo presas ao cinto;
no colo, ambos usando o mesmo cinto; 0
no banco de trás, SEM O CINTO DE SEGURANÇA;
em pé, entre os bancos dianteiros;
no compartimento de carga ou porta-malas;
em número maior que a capacidade nominal do veículo.
Ao transportá-las de uma dessas formas, você estará colocando em alto risco a vida das crianças e ainda estará sujeito a ser multado por falta gravíssima.  

Atenção!

Transporte as crianças no banco de trás e não esqueça de travar as portas e manter os vidros sempre fechados.
Procure entre as várias opções disponíveis nas lojas, o dispositivo que melhor atenda às necessidades para o transporte seguro de sua criança.
Dirigindo, não desvie sua atenção do trânsito para “cuidar” das crianças, voltando-se para o banco de trás. Se esse cuidado for inevitável, pare o veículo em local seguro.
Faça o embarque e desembarque das crianças somente do lado da calçada.

Você Sabia ?

…em caso de forte colisão, 10 quilos, peso normal para uma criança de 1 ano de idade, se transformam em 250 quilos arremessados na direção do painel ou contra os bancos dianteiros?
…mesmo com o cinto de segurança, um adulto transportando criança no colo, em caso de colisão frontal, pode prensá-la contra o painel ou banco? E neste caso, a criança ainda pode ser lançada para fora do veículo, com conseqüências gravíssimas.  

FONTE: CET-SP

Categorias
Blog

O 1º aniversário a gente não esquece. 1 ano de Blogueiragem

Sete fraldas por dia pra cada um, vezes dois, igual a 14 fraldas por dia, 98 por semana, 392 por mês, 4704 num ano.

Uma média de duas mamadeiras por dia pra cada um, vezes dois, são quatro por dia, 28 por semana, 112 por mês, 1344 num ano.
12 parcelas pagas da casa, 10 parcelas do carro, 6 da reforma, 8 dos móveis do quarto da Malu, 5 das TV’s.
2 empregos. 2 filhos. 2 gatos. 2 maridos (brincadeirinha, digníssimo).
Ultrapassamos a marca de 43 milhões de internautas, 44% da população das áreas urbanas e 97% das empresas está conectada à internet, possuímos ainda 33,3 milhões de máquinas e estamos em 10º no ranking mundial de número de computadores, a Internet Móvel cresceu de 233 mil para 1,31 milhão.
Keirrison do Palmeiras fez 16 gols no Brasileirão, houve 22,2% de queda das Exportações brasileiras, as vendas no varejo cresceram 5,9%, passa de 486 para 700 o número doadores de órgãos em São Paulo e a Claudia Leite perdeu 11 quilos em um mês.
13 visitas por dia e uma postagem a cada 2,82 dias.
2.712 Page Views e 131 postagens num ano.
Ufa! Cansei.

Obs.: O post tá pronto desde o dia 18, mas só consegui postar agora.
Foi nº demais pra mim.