Categorias
Bebês De Mãe pra Mãe

Saúde bucal dos bebês

Gente,

Olha que legal esse texto do Dr. Dr. Sylvio Renan, do Blog: http://blogdopediatra.blog.uol.com.br/ .

Ele fala sobre saúde bucal dos bebês:

Os primeiros dentes do bebê aparecem entre os cinco e dezoito meses. Nessa época, ocorre uma redução natural da imunidade, pois a quantidade de anticorpos recebidos pela mãe diminui.  Assim, a criança apresenta viroses com frequência, acompanhadas de febre esporádica, o que muitas vezes é confundido pelas mães como “febre dos dentes”.

A dentição da criança também pode levar a um pequeno quadro de dor, devido à inflamação local, assim como perda do apetite e evacuações discretamente mais ressecadas ou amolecidas.

Se seu filho demostra sofrimento com a erupção do dente, o quê não é muito comum, pode-se tentar um tratamento local com anestésico leve (líquido ou em pomada), esfregando-o levemente na gengiva do bebê. Em caso de choro mais forte, pode-se dar o analgésico oral, em gotas ou em solução, prescrito pelo pediatra.

Após o surgimento da erupção dentária, podem-se fazer pequenas “escovações” com escova bem macia, de preferência aquelas em forma de dedeira, que possibilitam sentir o contato com os dentes e as gengivas do bebê.

Após um ano de idade, é recomendado o uso de creme dental, sem flúor, pois este pode provocar complicações nesta idade, como intoxicação aguda (mais rara) com sintomas gastrintestinais (náusea, vômito e diarreia graves). A ingestão excessiva de flúor também pode levar à fluorose, com escurecimento dos dentes e risco de perda da estrutura dental, com seu consequente enfraquecimento, facilitando a instauração das cáries.

A escovação dos dentes no período que vai do início da erupção até cerca de dois anos de idade é muito importante por introduzir o bebê ao hábito da higiene após a ingestão de alimentos. As cáries serão muito raras se a mamãe suspender o uso da mamadeira no momento apropriado e não acostumar a criança ao uso e abuso do açúcar.

A primeira visita ao dentista deve ser aos três anos de idade, desde que a criança não tenha apresentado nenhuma anormalidade odontológica anterior a este período. Nessa idade, o profissional consegue maior colaboração da criança e a dentição já permite uma avaliação mais ampla dos dentes e da dinâmica bucal.

É importante que a criança seja avaliada por um dentista que tenha especialização em pediatria (odontopediatra).

  

Bacana, né?

APP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.