Categorias
Beleza e Bem Estar

Mitos e Tabus – Abdominal

Quem não deseja uma barriguinha sarada, ir à praia e poder exibir aquele tanquinho? Mas será que apenas exercícios abdominais são capazes de deixar o seu abdômen igual ao daquela atriz da TV? E mais, qualquer pessoa pode fazer?

O abdominal é um dos exercícios mais comentados e, por isso mesmo, vários mistérios o envolvem. Para ajudar, o personal trainer Beto Fernandes fala sobre o assunto e desvenda mistérios e tabus sobre o abdominal.

– Abdominal ajuda a perder barriga?
Sim e não. Se a barriga proeminente for fruto de ptose abdominal, que é uma flacidez dessa musculatura, o exercício abdominal faz o músculo voltar à posição anatômica normal – a barriga diminui. Agora, se a barriga for causada por excesso de gordura, o abdominal não vai adiantar, pois a fonte energética usada nesse exercício é o carboidrato. Para utilizar predominantemente a gordura, deve-se fazer exercícios aeróbios, como andar, correr, pedalar, nadar etc. Além de uma dieta adequada, prescrita por um nutricionista.

– Barriga de chope diminui com abdominal?
Não. A “barriga de chope” nada mais é do que acúmulo de gordura na região abdominal. Cada grama de álcool tem aproximadamente 7 calorias, e um copo de 300 ml de chope tem algo em torno de 120 calorias, logo a bebida ingerida em excesso engorda. Exercícios aeróbios e dieta são os mais recomendados.

– Abdominal emagrece?
Não. Emagrecer significa diminuir o percentual de gordura no corpo, mas o abdominal consome predominantemente o carboidrato e gasta poucas calorias. A melhor fórmula é combinar exercícios aeróbios com anaeróbios (musculação, por exemplo), além de uma dieta prescrita por nutricionista.

Aparelhos que dão “choques” ajudam a perder a barriga?
Não. Aparelhos de estimulação elétrica (eletroestimulação) não trazem nenhum resultado significativo para a perda de gordura, segundo vários artigos científicos. Esses aparelhos promovem um pequeno ganho de força e, por isso, são muito utilizados na fisioterapia, em trabalhos de reabilitação e pós-cirúrgicos. Mais recentemente, alguns estudos têm demonstrado um ganho de força maior ao realizar exercícios em conjunto com a eletroestimulação, se comparados apenas aos exercícios.

Fazer centenas ou milhares de abdominais por dia define o abdômen?
Não. O abdômen é um músculo como qualquer outro, logo deve ser treinado seguindo os mesmos princípios dos outros músculos do corpo. “Definir” o abdômen significa reduzir a capa de gordura e aumentar (hipertrofiar) o músculo, para que ele “apareça”. Isso se dá com a combinação do trabalho aeróbio, abdominais com poucas repetições e sobrecarga e uma dieta equilibrada.

– Gestante pode fazer abdominal?
Sim, mas com orientação. O bom condicionamento dos músculos abdominais e da parede pélvica é essencial durante a gravidez, no momento do parto e no pós-parto. São muitos benefícios, como menor risco de desvios posturais associados à gravidez; aumento da força da musculatura abdominal, facilitando a saída do feto no parto normal; redução dos riscos de incontinência urinária durante a gestação e no pós-parto; aceleração da recuperação da diástase abdominal (separação dos lados direito e esquerdo do músculo reto abdominal); maior força e capacidade funcional para manter a região lombar estável; maior capacidade funcional para executar movimentos aparentemente simples, porém mais difíceis para a gestante, como levantar da cama, carregar objetos etc.
Porém, há contra-indicações, como retardamento do crescimento intrauterino; sangramento persistente; pré-eclâmpsia ou toxemia (aumento da pressão arterial); lesão ou disfunção placentária. Portanto, é indispensável a autorização do médico e o acompanhamento de um profissional da educação física.

– Quem tem problema na coluna pode fazer abdominal?
Depende. Existe um grande número de patologias. É necessário um profundo conhecimento do problema, inclusive a causa, para definir o exercício correto. Exames como ultrassom e ressonância magnética são fundamentais, sempre com acompanhamento de um médico ortopedista.

– Abdominal ajuda na postura?
Sim. Ajuda a diminuir desequilíbrios musculares na região do tronco. Esse desequilíbrio, tanto de força como de flexibilidade, afeta a postura principalmente na pelve, coluna, quadril e joelho.

– Posso começar a fazer abdominal sem orientação?
Antes de iniciar qualquer prática esportiva, deve-se consultar um médico e, se for possível, fazer também uma avaliação física. Caso não haja nenhuma patologia, qualquer pessoa pode fazer exercícios abdominais.

Fonte: Beto Fernandes, personal trainer

Sobre Beto Fernandes – Personal trainer, especialista em trabalho com grupos especiais, como idosos, diabéticos, cardiopatas e hipertensos. Possui pós-graduação em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina, da Unifesp, e em Exercício Físico Aplicado à Reabilitação Cardíaca e a Grupos Especiais pela Universidade Gama Filho-RJ. Com experiência de 17 anos na área esportiva, Beto já trabalhou em academias como Competition, Pelé Club, Eko Esportes, Fitsport e Corpus.

 …………………………………………………………………………………..

O texto acima foi escrito e enviado por uma assessoria de imprensa. E aqui foi publicado gratuitamente por entender que o conteúdo é de interesse dos leitores deste Blog. Este conteúdo não reflete necessariamente minha opinião.

…………………………………………………………………………………..

Categorias
Beleza e Bem Estar

Organizando Esmaltes

Ainda sobre as minhas costumeiras ‘faxinas’ de inicio de ano (eu sei que tá um pouquinho atrsado… o que são 8 meses, né? rsrsr). Ficou pendente o post sobre organização de esmaltes.

Esta era a situação dos meus esmaltes antes:

Para organizar a primeira coisa que comprei foram essas paletas para esmaltes, separei os esmaltes por tons e os numerei para ficar fácil de localizar.

Essas divisórias eu comprei numa loja do tipo ‘1,99’, mas sei que também estão a venda naquela revistinha da Avão Casa.

Tentei seguir na caixa a mesma organização das paletes.

 

 

 

E deu certo:

 

Agora eu encontro mais fácil meus esmaltes e não esqueço nenhum. É só olhar as paletas antes de pintar as unhas para escolher, pegar na caixa e corre para o abraço (sem encostar as unhas que é para não borrar…)

Só não poso comprar mais nenhum, pq na caixa não cabe mais nada…rs

Espero que gostem das dicas.

APP

Categorias
Beleza e Bem Estar

Cirurgia Plástica-Relato-Mês-1

A memória do ser humano é curta.

Depois que exorcizei  o Breno, por volta dos 10 Dias de cirurgia, ganhei mobilidade. E essa mobilidade me fez melhorar muito.

Sou do tipo de pessoa que não consegue ficar quieta. Pedir para alguém pegar coisas no chão, água ou qualquer outra coisa, pra mim,  é sofrido. Recebi uma criação para ser uma pessoa independente. Trabalho desde os 14 anos, sai da casa dos meus pais casada aos 21 anos, aos 26 já tinha 2 filhos…

Acho que isso tem um nome, chama: Excesso de independência.

Não tem nada haver com orgulho (eu acho), mas sim com minha impaciência.

Paciência não é meu forte, eu reconheço.

Acho que esse meu ‘excesso de independência’ é algo que preciso trabalhar nessa vida.

Olha só (ironia)… a cirurgia plástica me fazendo refletir….

#ignora

 

Voltando ao que interessa.

O cronograma desse 1º mês ficou mais ou menos assim:

Com 10 dia eu tirei o Dreno e passei a dormir mais.

Com 15  dias eu tirei os pontos do corpo (da Lipo) e os hematomas forma embora.

Com 20 dias eu tirei os pontos do umbigo e as sessões de drenagem já não eram sessões de sangria.

Com 30 dias eu olho no espelho e consigo enxergar partes do meu corpo sem precisar levantar outras pra dar acesso.

 

Viu só!  Não demorou nem 1 mês pra eu esquecer.

Aliás.. começo a pensar na próxima…

 

Tenho memória de Peixe!

APP

Categorias
Beleza e Bem Estar

Cirurgia Plástica- Relato- Semana 1

Dia 0: Minha internação é hoje. Um pouco de ansiedade bate a minha porta.
Engraçado, depois de virar mãe eu ganhei alguns medos que eu não tinha antes, tipo medo de ladrão, ou de morrer…

#pausaparareflexãobarata

Descobri que meses de férias são os piores para a realização de cirurgias plásticas.
Aguardei 1 hora na recepção do Hospital Rubem Berta, para poder subir para o quarto e a cirurgia que estava marcada para as 14:30 só começou as 17:00. Atraso por conta do alto numero de pacientes.

Acabo de acordar da sedação e voltar da anestesia. E para meu alívio mexo todos os dedos do pé…rsrs (a neurótica da anestesia)
Fui colocada num aparelho chamado Sequel, ele fica “massageando” meus pés… Incha umas almofadinhas muito parecidas com aquela de medir a pressão, sabe? Serve para manter a circulação na região, evitar seqüelas causadas pela má circulação e tal…Mas o mais legal é que ele  mantém meus pés quentes! Praticamente um milagre!
Desculpe digníssimo, mas encontrei alguém algo que esquenta meu pé tanto qto vc.
Estou tendo um caso com o Sequel!
“_Enfermeira, dá pra levar pra casa ?”

 

Dia 1:

Breno, o Dreno.

Dor, sangue e sofrimento.
Não, não é um filme de terror. É o 1º dia após a realização de uma Lipoaspiração. P%$¨ Q@# o P#$%@, ô negócinho dolorido.
Se até hoje você não tinha nenhuma informação, um relato REAL do pós cirúrgico de uma lipoaspiração aqui fica a dica: #Dói pra cacete!
Quem já fez cesárea sabe que levantar da cama e fazer xixi (o primeiro pelo menos) são os mais difíceis depois da cirurgia.

Agora, imaginem essa dificuldade aliada a sensação de ter sido atropelada por um caminhão… Imaginou ?  aff!
A Abdominoplastia eu praticamente nem sinto. Não sei se pela dor da Lipo ou pelas experiências anteriores com cesáreas, mas praticamente nem sinto.
Quanto a resultados: Já vi alguma coisa. Não da lipo , claro, porque afinal tem um dia apenas e estou super inchada, mas mesmo com a cinta já percebo que a cinturinha de kibe, a pochete, o avental, o pneu, enfim… foi para o espaço.
Amanhã tenho minha primeira consulta de retorno ao médico e adivinhe só..

Banho só amanhã… (risada do pica-pau #fail).
Meu bichinho virtual (o dreno) a quem eu carinhosamente apelidei de Breno e eu estamos aqui ansiosamente aguardando por uma bela chuveirada.
Engraçado que só damos valor a essas coisas quando elas não podem ser feitas, né?

 

Dia 2:
Retorno com o Dr. André Lançoni na Dream .

Troca dos curativos. Mais dor e alivio. Um pouquinho só de alivio.
Troquei o modelo de cinta. Agora estou com uma mais firme, me sinto mais segura para andar.
Sentar e levantar ainda dói. Mas estou melhor que ontem.
Iniciarei as sessões de drenagem linfática e tenho orientação para comer bastante carne, para ajudar na recuperação do sangue perdido na Lipo.
Aliás, vc sabia que quem tem anemia não pode fazer Lipoaspiração ?

 

Dia 3:
Primeira sessão de drenagem, primeira vez que encaro o espelho e primeira vez que viro uma peneira humana.
Tá aqui mais um detalhe que ninguém lembra de contar. Quando se faz uma abdomino+ lipo alem do incomodo do Breno, vc tem o incomodo do vazamento.
É você leu direito. Você vaza por certos pontos do seu corpo. V-A-Z-A.
Eu sabia que eu teria que passar por um “protocolo” de tratamento pós-operatório, que combinaria terapias como drenagem com ultra-som, endermologia, infravermelho, e outras, para diminuição da fibrose e melhora do resultado final. Mas eu não me lembro de ter visto em lugar nenhum que sairia liquido de orifícios feitos no meu corpo.
É simplesmente a coisa mais assustadora  bizarra que já passei na minha vida. Em uma drenagem comum, o liquido é “expelido” digamos assim, pela urina, seu organismo encontra caminhos para que ele saia, quando você faz uma lipo, alguns furos no seu corpo usados para a entrada da canaleta que suga a gordura, ficam abertos para que esse liquido seja drenado ainda nos primeiros dias durante as sessões de drenagem.
Fazer regime passou a parecer algo muito mais fácil, até prazeroso eu diria.

Dia 4:
Domingão.
Tossi e senti os músculos da minha barriga contraírem…
Nunca pensei que escreveria sobre isso.
#ignora.

Dia 5:
Segunda-feira, minhas dores já diminuíram bem. Respirar não dói mais.
Já fui ao banheiro e coloquei a cinta sozinha!
Uma mocinha!!!
Que Situação…
Mais uma sessão de drenagem.  Há muito tempo não me lembro de chorar de dor.

Então fica a dica: Faça uma cirurgia plástica e chore de dor*.

 

Almofada Pós Cirurgica

Dia 6:
Vou falar sobre um assunto polêmico: Mamilos
Apesar de não ter mexido na comissão de frente, por estarem localizados na área ‘afetada’ digamos assim, meus seios doem. MUITO.
Para aliviar essa sensibilidade estou usando debaixo da cinta um absorvente de seios, aqueles que a gente usa durante a amamentação, sabe?

Meia Pós Cirúrgica

Melhorou bem. Diminuiu a fricção da cinta.

E esse não é o único produto do meu arsenal pós-cirurgico. Para aliviar o inchaço das pernas estou usando meias elásticas (que merecem um post aparte) e para  evitar marcas estou usando uma almofada pos cirúrgica por baixo da cinta.
É muito legal.
Pareço um rolinho de sofá corcunda que anda.

 

Dia 7:
Hoje faz uma semana que fiz a cirurgia.
A cicatriz está bem sequinha. Me movo com mais mobilidade. Meu umbigo começou a ficar com cara de umbigo. Vou lhes poupar de fotos nesse momento, mas posso dizer que está FEIO.

Já voltei com parte do meu trabalho (e-mails e telefone pelo menos). E estou totalmente focada no pós-operatorio. Fazendo todo o possível para evitar a fibrose. As sessões de drenagens já são uma hora de alivio e não de dor e já estou quase saindo da posição de Quasímodo.

Toda vez que converso com alguém que já tem mais tempo de cirurgia essa pessoa fala que o alivio vem depois da retirada do dreno. Estou ansiosa pra isso! Volto pra contar como estou em 1 mês.

 Considerações finais:
Dói MUITO. Acho que já deixei isso claro por aqui, mas não custa nada relembrar.
Há coisas sobre cirurgia plástica que não são tão divulgadas como eu acho que deveria ser. A dor, o ‘vazamento’ e o risco de fibrose, são exemplos disso. Fique atenta e se informe antes de qualquer procedimento cirúrgico.
Vc precisará de AJUDA.

Você precisa de um companheiro!

Um companheiro forte, másculo e que saiba dirigir…. rsrsrs Sério.Pode ser uma prima, uma irmã, a mãe ou como no meu caso, o digníssimo, o fato é que vc precisará de alguém pra te ajudar a levantar e sentar, pra te levar nas sessões de drenagem e pra fechar sua cinta!
Esforço é proibido nos primeiros dias e eu me senti muito debilitada por conta da perda de sangue decorrente da cirurgia.

Sem a ajuda do Marcelo e da Tia Rosa (cuidando das crianças pra mim) eu não conseguiria realizar esse grande sonho. Quero deixar registrado aqui para a eternidade (olha o drama) o meu agradecimento!

 

Mãe, vc sabe o que é verde?” Pergunta Maria Luiza ao chegar da casa da Vó enquanto eu finalizava esse post.
“Não, filha, o que é?”
“_Verdura!”
(pausa para reflexão seguida de risadas com fortes dores abdominais)
Não tem nada haver com o assunto, aliás, não tem nada a ver com nada, mas a risada que ela arrancou de mim faz ficar tudo mais ameno.
Ser mãe é dolorido.

Ser mãe e querer ficar bonita dói mais ainda

 

APP

*Essa minha dor é causada pelo seroma, a complicação mais comum em grandes lipoaspirações. É o acúmulo de um liquido claro na região operada, formando como uma “bolsa de água”.Nestes casos procede-se ao esvaziamento através das drenagens ou de de punções, com resolução do problema e sem prejuízo do resultado.
*Daqui a 1 mês escrevo sobre o assunto de novo, quem sabe até lá meu humor não melhorou…
Categorias
Beleza e Bem Estar Curiosidades e Variedades

10 passos para a escolha de um Cirurgião Plástico

Ainda Sobre a neura o tema: Plástica. Uma matéria super legal do site Terra

Hoje a cirurgia plástica permite consertar quase tudo, com cicatrizes cada vez menos visíveis. Mas para que os resultados correspondam às expectativas é preciso que o paciente procure um bom profissional. Acompanhe 10 passos importantes para você não errar na escolha.
1. Não escolha um nome ao acaso. Converse com amigas ou parentes que tenham feito uma cirurgia estética. Pergunte como foi o atendimento pré e pós-operatório e peça para ver o resultado. Dificilmente um cirurgião plástico faz um excelente trabalho em uma pessoa e ruim em outra.

2. Peça a seu médico de família ou mesmo conhecido a indicação de um cirurgião plástico. Pergunte a ele quantos de seus pacientes foram indicados a esse cirurgião, e quais foram as impressões de retorno dos mesmos. Pergunte ainda se encaminharia um familiar dele a esse cirurgião plástico.

3. O próximo passo é conferir se o médico recomendado tem especialização em cirurgia plástica e está ligado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

4. Informe-se sobre a participação do médico em congressos e palestras, apresentação de trabalhos, publicações e o número de cirurgias realizadas.

5. Marque uma consulta com pelo menos dois médicos da sua lista. Assim você poderá comparar suas opiniões, condutas e honorários. A conversa pessoal com o cirurgião também pode mostrar se ele transmite confiança. Aproveite para deixar claro seus objetivos e esclarecer todas as suas dúvidas.

6. Na sala de espera da clínica é possível encontrar pacientes de pós-operatório. Procure saber se essas pessoas foram bem atendidas, além de perguntar se elas ficaram satisfeitas com os resultados da cirurgia.

7. Certifique-se de que o cirurgião é credenciado nos bons hospitais da cidade, mesmo que tenha a própria clínica e centro cirúrgico.

8. Informe-se se o médico é especializado em técnicas específicas para a área do corpo que você pretende modificar.

9. Tome cuidado com anúncios sensacionalistas que prometem resultados fantásticos, especialmente com fotos de pré e pós-operatórios e ofertas de parcelamentos de honorários. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Luiz Carlos Garcia, os bons especialistas não precisam utilizar esses artifícios e zelam pela ética profissional.

10. Marque a cirurgia com o profissional de que tenha obtido boas referências e com o qual você tenha estabelecido um relacionamento de confiança e que transmita total segurança.

O bom cirurgião plástico deve…

* perguntar sobre suas expectativas, discuti-las com você e considerar as suas reações quanto às recomendações dadas.

* aconselhar pelo procedimento mais indicado para atingir as suas necessidades.

* responder todas as suas dúvidas numa linguagem absolutamente compreensível.

* dar informações sobre o procedimento que você deseja: o nível de complexidade, o tipo de anestesia, a internação, o repouso, as restrições na vida cotidiana, os cuidados em longo prazo.

* deixar claro os riscos envolvidos com a cirurgia e possíveis intercorrências e complicações.

* receber com naturalidade perguntas sobre sua formação, qualificações profissionais, experiência, honorários e formas de pagamento.

* deixar a decisão final para você.

* pedir todos os exames pré-operatórios, como o sangüíneo, o clínico, o cardiológico e até o raio X do tórax.

* tirar fotografias da região do corpo que sofrerá a cirurgia.

 

Veja também:

Muita informação sobre Cirurgia Plástica

Categorias
Beleza e Bem Estar

7 Maneiras de Usar Cachecol

Nunca fui muito fã de cachecol, tenho asma e qualquer coisa no meu pescoço me incomoda demais.

Se existe vidas passadas tenho certeza que morri ou matei alguém sufocada. Porque Asma não é só uma doença, é um castigo. É um carma. Tem que ter muito chifre pra agüentar. E todo castigo pra corno é pouco. </ reclamação da vida>

Bom, mas com o tutorial da  Michelle Phan, dá até vontade de passar a enfrentar meus medos/karmas.

Esse tuto MASSA mostra 7 maneiras de usar “scarf”, nosso bom e velho cachecol. Enjoy!

APP