Apologia a Cesárea ? ou a Livre Escolha?

Esse texto foi de um comentário que fiz no Blog Mamíferas nesse post, sobre uma cesárea ficitícia, não muito boa.

Resolvi colocá-lo aqui pra deixar gravado a minha opinião a respeito do parto por cesárea e acrescentar que sei que a cesáreana se popularizou porque os médicos ganham MUITO mais $$ dos planos de saúde para uma cesáreana do que por um parto normal, sem levar em consideração o tempo que eles perdem: Uma cesárea é feita em 20 minutos e um parto normal pode demorar horas. Mas sou taurina, gosto do segurança e uma cesárea é uma cirurgia controlada. Tem riscos? Claro que tem! Mas no MEU julgamento é mais seguro.

 Sobre ser uma violência contra o bebê e o próprio corpo, eu acho que “violência” é a falta de escolha.

É o que acontece em hospital público,  com mulheres que passam por maus tratos , ouvindo gracinhas do tipo “Na hora de fazer foi bom, né?”, que dão a luz em ambulância por falta de vagas em hospital ou que não fazem o pré-natal adequado.

Acho que nós mulheres lutamos muito pra ter nossas opiniões respeitadas, nossos direitos respeitados e devemos levar essas conquistas para todos os planos inclusive em relação a filhos e família. Se podemos escolher Quando (se jovem ou madura), Onde (hospital ou em casa/ cama ou banheira) e com quem (pai natural ou emprestado inseminação), porque não escolher COMO.

Bom, não sou dona da verdade. Muito pelo contrário, costumo ter opiniões polêmicas em relação a quase tudo. E o mais legal da internet é você poder se expressar, conhecer opiniões diferentes da sua e ainda argumentar a respeito. 

Ta aí o texto da discórdia:

“Puts! Vou fazer um comentário aqui, que tenho certeza que vou ser crucificada: Sou totalmente a favor da cesárea.
Fiz duas, então acho que sei do que estou falando.
A 1ª foi de emergência, as 34 semanas de gestação por causa da queda de liquido amniótico, então não tive opção. Mas a 2ª (1 ano e 4 meses depois) foi por opção SIM.
Eu tenho 1,58m e estava carregando um bebê de quase 4 quilos, um bebê super saudável, mas eu já não dormia, não agüentava ficar mais de 20 minutos na mesma posição, meus pés doíam, meu estomago doía, minha coluna então não vou nem comentar. Não agüentava mais. Liguei para o meu médico, estava com 38,5 semanas e agendei a cesárea. Cheguei no horário marcado, fui bem atendida, fui ao meu quarto, já havia feito as depilações e retiradas (esmaltes, brincos, pulseiras, etc.) necessárias, guardei minhas coisas, dei as orientações ao pai e as avós corujas sobre o que eu e o bebê vestiríamos após, assisti um pouco de televisão…Perto do horário, coloquei a camisola horrorosa (isso é verdade!) do bumbum de fora desci, para a sala de espera do centro cirúrgico (sim, o centro cirúrgico tem uma sala de espera!rsrs) em 20 minutos estava na maca e com o meu bebê no colo.
Veja bem, quero deixar bem claro que NÃO ESTOU FAZENDO APOLOGIA A CESÁREA! É uma cirurgia complicada, de recuperação lenta e doloridíssima, mas sou totalmente a favor do direito de escolha da mulher.
E antes do mimimi de “você não pensa no bebê”, “não era hora dele nascer ainda” e blá,blá,blá eu respondo com 2 casos super próximos de mim de pessoas que forçaram o parto natural e hoje tem filhos com problemas em decorrência do parto (uma por falta de oxigênio pro bebê, porque ela não tinha abertura suficiente e não queria cesárea de jeito nenhum e outra que quase morreu de pressão alta, porque queria “sentir a dor REAL de ter um filho” e quando se decidiu pela cesárea já era tarde).
{Só quero lembrar que você não precisa sentir dor, o medico pode, a critério dele, aplicar a anestesia (peridural se não me engano) e você pode ter o parto natural}
Mas, repito: SOU A FAVOR DO PODER DE ESCOLHA DA MULHER, Acho que CADA UM SABE ONDE SEU CALO APERTA E a ciência e a medicina evoluíram, entre outras coisas, pra isso. Para você ter o direito de escolher o que você julga melhor.”

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

16 Mamães Falando Sobre...

  • fernanda

    16 de março de 2011 at 19:22
    Ah! Pelo amor de deus! Eu vi o blog delas e elas falam direto do parto natural. tenho certeza que elas tinham grana pra pagar por parteira e medico em casa e quem nao tem dinheiro pra isso vai morrer num corredor de hospital publico por causa da ma vontade dos funcionarios publicos. se quer fazer piquete por alguma coisa tem que fazer pela saude publica que ta uma bosta, nao fazer porque alguem quer fazer uma cirurgia. daqui a pouco vai ser violencia colocar silicone e cortar cabelo. falta do que fazer.
    • marisangela

      16 de março de 2011 at 19:27
      @fernanda, eu acho que elas tão certa. Ninguem mais quer parir. Antigamente não tinha essas coisas que tem hoje e tá todo mundo bem vivinho. Eu vou ganhar nenem agora em agosto e quero fazer o possivel pra ter natural. Quero ser mãe por inteiro! Eu acho que a Patrcia ta certa, cada um tem direito de escolher. mas eu sou a favor do natural
    • Patricia Assis

      16 de março de 2011 at 19:29
      @marisangela, Respeito sua opinião Marisangela e acho que se é o que você quer, bola pra frente. E boa sorte!!
    • Nina Carolina

      14 de agosto de 2012 at 17:36
      Ridículo ! Mãe por inteiro ?! Tive minha filha por cesárea então sou menos mãe que vc ??? Faça me o favor...Vai lavar teu tanque de roupa,vai...
    • Patricia Assis

      16 de março de 2011 at 19:28
      @fernanda, Calma cocada....rs.
  • fernanda

    16 de março de 2011 at 19:35
    Marisangela. Acho que se você quer sentir dor e acha isso legal, não tenho nada a ver com isso. So acho que muita gente se preocupa com o que nao tem que preocupar e o importante fica sem nada.
    • Nina Carolina

      14 de agosto de 2012 at 17:37
      Concordo ! Falta do que se preocupar.
  • josilaine

    1 de abril de 2011 at 14:43
    ola sou uma pessoa muito decpcionada com saude publica engravidei em 2009 em novenbro fui pro hospiutal das clinicas com pre clapscia grave e ficaram seis dias tentando e introduzindo remedio em min pra que o parto fosse normal como que pode um parto normal com pessão alta so na cabeça de um bando de academicvos demente que trabalha no hjospital das clinicas mais quando resolveram fazer o parto meu filho tinha enacuado na minha barriga e bebeu agua de parto hoje meu filho so esta bem graças a Deus porque se fosse por causa daquele hospital eu e meu estariam mortos
    • Patricia Assis

      1 de abril de 2011 at 22:17
      @josilaine, Josilaine, vc tem toda razão. A saúde publica desrespeita a mulher grávida!
    • suzana cristina

      22 de março de 2013 at 22:27
      É um absurdo ,não podermos escolher que tipo de parto teremos , principalmente pelo SUS , cada um sabe o que é bom pra si , mas os médicos se sentem Deus e querem decidir tudo . Eu estou grávida de 8 meses da segunda gestação , e quero cesariana , vai abrir minha barriga , claro que vai , mais é um direito meu , as prostitutas podem escolher o que fazer com o corpo delas e eu se não tivesse plano de saúde não poderia decidir o que fazer com o meu? Isso é um absurdo , o sistema público não liga para os nossos direitos de mulher.
  • Ca

    12 de abril de 2011 at 16:14
    Eu concordo totalmente com o direito de escolha. Eu fiz o caminho inverso. Por falta de opção, tive a primeira filha de parto normal no hospital público. Foi esse inferno mesmo que vc comentou com direito a "na hora de fazer foi bom" e "os estudantes já pediram a pizza? o plantão tá foda hoje". Na segunda, 7 anos depois, com outra cabeça, outras possibilidades de escolha, outro marido, outra vida, finalmente escolhi. Onde, como, com quem. Só não escolhi o quando porque dentro das minhas escolhas estava o parto domiciliar e é imprescindível deixar a coisa acontecer. Claro, não havendo intercorrência que impeça. Como sou malandra e conheço meu eleitorado não contei pra ninguém da família, mas depois do nascimento ouvi montes. Como vc deve ter ouvindo com a cesárea agendada. Coisas da vida. Como não estou aqui pra agradar ninguém, estou pra viver a minha vida do jeito que escolho, não ligo. Beijos!
    • Patricia Assis

      12 de abril de 2011 at 16:25
      @Ca, É isso aí Ca!
  • Joelma

    7 de dezembro de 2011 at 16:14
    Sou super a favor da cesaria.... Realizei uma cesaria há 12 dias e estou ótima, sem dor e com muito leite, eu já havia decidido, vou fazer uma cesariana, quando ia marcar veio a bomba a bolsa estourou quando eu estava com 35 semanas, então a medica me aconselhou a esperar contrações para realizar parto normal... chorei, chorei eu não queria e Deus ouviu minhas presses, sem dilatação, sem contração foi realizada uma cesaria.... é ótimo eu não senti nada.
    • suzana cristina

      22 de março de 2013 at 22:33
      é só Deus pra ajudar nessas horas , na minha primeira gestação , com um plano de saúde muito ruim , que não me permitia escolher , orei muito e Deus preparou um médico pra fazer a minha cesariana , sem me cobrar nada , ele simplesmente falou , quer cesária ? Eu faço , o Deus de maravilha.
  • Van

    4 de abril de 2013 at 19:08
    Oi! Sou a favor do direito a informação para q a mulher tenha o direito de escolher. Não penso q defender o PN seja falta do que fazer. Aliás, a luta pelo direito de parir como desejar, passa pela defesa da melhoria do SUS pois, só assim, as mulheres poderão ter certeza das suas escolhas. Eu tive meu primeiro filho de cesárea desnecessária pq a FDP da Obstetra do plantão queria ganhar o dinheiro dela (se não fosse cesárea ela não receberia pq não faria meu parto, quem teria me ajudado seria a EO). Minha recuperação foi horrorosa. A cesárea q não prestou?? NÃO! Eu SOFRI VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA. Esta intervenção foi violência obstétrica. O meu segundo filho veio 1a6m após o primeiro, de VBAC. Fiquei 18h25m em TP, senti muitas dores pq TP dói sim. Não pedi analgesia pq não queria mesmo. E meu bb nasceu com minha ajuda e do pai. Foi um parto ativo lindo. E NÃO PAGUEI por isso. Quem fala q mulheres q tem o PN é pq tem $$ para pagar a equipe e tals, não tem informação suficiente para opinar. E outra coisa, não vamos confundir: as brincadeiras imbecis e ser maltratada durante o TP é VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA e não tem nada relacionado com o tipo de parto q a mulher escolhe. Tenho amigas q foram maltratadas na cesárea. Não confundamos alhos com bugalhos! Respeitosamente, Van

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2009 De Repente: Mãe. Todos os direitos reservados. Não aceite Imitações.
PortfólioComunicação.com
SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.